Papel do Valleylab Ligasure

Papel do “Valleylab Ligasure” na Amputação

Abdômino-Perineal Completa por Videolaparoscopia

“Valleylab Ligasure” in Laparoscopic Abdomino Perineal Resection

CESAR GUERREIRO (Cirurgião do Hospital de Ipanema, Titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia)

CARLOS EDUARDO P. DO VALLE (ASBCP)

A cirurgia colorretal laparoscópica está sendo atualmente realizada em diversos centros médicos e hospitais e apresentam uma evolução constante tanto técnica quanto instrumental. Neste artigo será analisada a técnica de ressecção abdômino-perineal videolaparoscópica, com o uso do selador de vasos que tornará este método mais rápido e seguro.

Videolaparoscopia; Ressecção abdômino perineal completa; Sistema “ligasure”.

Colorectal laparoscopic surgery is being made nowadays in many medicals centers and hospitals. It presents a great evollution in techniques and equipments. In this article it will be discussed the abdomino perineal resection techniques with the use of the “Ligasure Sistem” which will make the surgery faster and safer.

Laparoscopic surgery; Abdomino perineal resection; The “Ligasure System”.

A cirurgia videolaparoscópica tem sido aprimorada rapidamente nos últimos anos com o surgimento de novas técnicas, transformando- se em um método de escolha para o tratamento de patologias colorretais desde junho de 1990, com a primeira hemicolectomia direita realizada por Moises Jacobs.

As cirurgias colorretais têm sido realizadas em diversos centros no exterior, e o seu avanço e êxito aumentam em razão do emprego de novas técnicas e também com o grau de experiência do cirurgião. Hoje é praticamente possível fazer por videolaparoscopia qualquer procedimento colorretal.

Foram submetidos à amputação abdômino-perineal completa por videolaparoscopia com o uso do selador de vasos “Ligasure”, dois pacientes do sexo masculino. Utilizaram-se quatro trocáteres de 10/12mm em ambos os casos. Iniciou-se com a identificação do ureter esquerdo, em seguida identificação da artéria e veia mesentérica inferior na sua emergência da aorta. Realizamos primeiramente o selamento (3) da artéria mesentérica e (2) selamentos na parte superior; em seguida procedemos aos (2) selamentos na veia mesentérica inferior. Fizemos a dissecção descendente com selamento dos pequenos vasos.

A seguir, realizamos o deslocamento do cólon esquerdo, sigmóide e reto através da fáscia de Toldt até o músculo elevador do ânus; observados os critérios oncológicos com a excisão completa do mesorreto em monobloco, procedemos à ressecsão com o grampeador TSB- 45, sendo necessária uma carga adicional.

Outra equipe iniciou o tempo perineal com a retirada da peça em bloco, fechamos a pelve com drenagem da mesma e refizemos o pneumoperitônio após fazermos a colostomia definitiva pelo trocáter no flanco esquerdo.

Fig. 1

 

Fig. 2

O SELADOR “LIGASURE”

É mais uma nova técnica que certamente ganhará populariedade após seu melhor aprendizado; funciona em vasos até 8 mm, com a fusão do colágeno da parede dos vasos, criando um selamento permanente .

Pode selar sem dissecar ou isolar, causa mínimo spread de calor, confinando seu efeito no tecido alvo. Libera o uso de clips e evita trombose no lúmen (que ocorre com o bipolar); é uma combinação de pressão e energia criada.

É mais um instrumento de utilização em cirurgia videolaparoscópica para hemostasia e mobilização do cólon, tornando-o mais rápido e seguro.

Peterson SL, Stranahan PL, Schmaltz D: “Comparison of healing process following ligation with sutures and bipolar vessel sealing”. Surgical Technology International 1999.

Endereço para correspondência

Dr. Cesar Guerreiro

Av. Nossa Senhora de Copacabana, 647 sala 509

22050- 050 – Rio de Janeiro – RJ

E-mail: cesarguerreiro@terra.com.br

2017-09-05T11:07:49+00:00